;
Contrate Já: (64) 3404-8181   Central do Cliente
Agora é oficial: PS5 é fisicamente o maior console do século

Agora é oficial: PS5 é fisicamente o maior console do século

Com quase 40 centímetros de comprimento, o console é muito maior do que seus concorrentes e outros videogames das últimas décadas

O preço do PS5 não foi o único número que a Sony confirmou sobre o console nesta quarta-feira (16). A empresa também divulgou de forma oficial as dimensões do console, confirmando suspeitas desde que o visual do produto foi anunciado: o PlayStation 5 é literalmente o maior videogame do século.

Neste sentido, nenhum outro console é tão comprido nos últimos anos. O console tem exatamente 39 centímetros de comprimento, o que é pouco mais de 17% maior do que o primeiro modelo do Xbox One, hoje apelidado de “Fat”, que foi amplamente caçoado em 2013 pelas dimensões que o faziam parecer um videocassete. Ele tinha cerca pouco mais de 33 centímetros.

Ao compará-lo com o Xbox Series X, a diferença é ainda mais notável. O novo console da Microsoft tem 30,1 centímetros de comprimento, o que faz com que o PS5 seja mais de 29% maior que seu principal rival no mercado.

Comparando com o universo PlayStation, a diferença é ainda mais interessante. Quando o PS4 chegou ao mercado, ele já era “Slim”, com dimensões bastante compactas, e apenas 27,5 centímetros de comprimento. Isso faz com que o PS5 seja 41% maior do que o seu irmão mais velho.

As dimensões reais do PS5 estão bem próximas das especuladas após o evento de apresentação do console. Na ocasião, a internet estimou com base nas imagens de divulgação e em componentes de tamanho conhecido, como o leitor de discos e as portas USB, o tamanho físico do console, utilizando cálculos proporcionais.

Apesar de tudo isso, o PS5 tem uma vantagem sobre o concorrente Series X em outra dimensão: a altura. O top de linha da Microsoft é muito mais atarracado, com 15,1 centímetros de altura quando deitado, enquanto o PS5 tem apenas 10,4 centímetros. Ou seja: o Xbox é mais de 45% mais alto do que o PlayStation.

Obviamente, um console ser maior ou menor não é necessariamente algo positivo ou negativo sobre um console. Afinal de contas, mais espaço para os componentes pode facilitar a ventilação e permitir que o calor se dissipe melhor, evitando superaquecimento, ao mesmo tempo que, pelo lado negativo, o console muito grande pode não ter espaço na estante dos jogadores e pode chamar atenção demais em uma sala, por exemplo.

32 títulos que voltam para a Netflix em setembro

32 títulos que voltam para a Netflix em setembro

A Netflix está constantemente atualizando o seu catálogo com novas opções de filmes, séries e outros conteúdos em vídeo para agradar seus assinantes. Em meio a essas novidades, infelizmente, alguns títulos também acabam saindo do serviço devido a terem seus contratos expirados ou até mesmo por outros motivos.

Já a boa notícia é que, às vezes, alguns destes títulos que saíram podem voltar para o catálogo da Netflix após um determinado período de tempo. Assim, para saber mais sobre eles, confira a seguir quais são os títulos que devem voltar para o catálogo da Netflix em setembro.

Os títulos listados abaixo podem sofrer alterações na sua data de retorno sem aviso prévio por parte da Netflix.

Filmes, séries, animações e demais títulos

  • A Invasão (01/09)
  • A Maldição de Chucky (01/09)
  • Beleza Americana (01/09)
  • Caso 39 (01/09)
  • Django Livre (01/09)
  • Escola de Rock (01/09)
  • Exploradores Espaciais (01/09)
  • Gladiator – O Desafio (01/09)
  • Mate-me Mais Uma Vez (01/09)
  • Meninas Malvadas (01/09)
  • O Expresso Polar (01/09)
  • O Poder do Ritmo (01/09)
  • Os Donos da Rua (01/09)
  • Pense Como Eles (01/09)
  • Segurança de Shopping (01/09)
  • A Última Tentação de Cristo (04/09)
  • Demônio (04/09)
  • Em Algum Lugar do Passado (04/09)
  • Em Busca do Vale Encantado (04/09)
  • Frankenstein e os Pestinhas (04/09)
  • George, o Curioso (04/09)
  • Intrigas de Estado (04/09)
  • Johnny English (04/09)
  • O Retorno de Johnny english (04/09)
  • Orgulho e Preconceito (04/09)
  • Surf no Havaí (04/09)
  • Tropa de Elite (04/09)
  • Um Milhão de Maneiras de Pegar na Pistola (04/09)
  • O Impossível (10/09)
  • Justin Bieber: Never Say Never (15/09)
  • Pânico em Alto Mar (15/09)
  • O Espetacular Homem Aranha (30/09)

Além destes títulos previstos para voltar, não deixe de conferir quais são os outros títulos que entrarão na Netflix neste mês de setembro.

Como remover títulos da lista “continuar assistindo da Netflix”

A Netflix possui uma quantidade enorme de títulos de qualidade em seu acervo, mas se você se arrependeu de ter começado a assistir um deles, felizmente, existe uma forma simples de tirar ele da lista “continuar assistindo”, que aparece logo ao abrir o aplicativo. Para isso, basta seguir este passo a passo:

1. Acesse a Google Play ou a App Store e verifique se o aplicativo da Netflix está atualizado para a sua última versão;

2. Agora, abra o aplicativo normalmente e selecione o perfil desejado;

3. No título desejado, toque no botão representado por “três pontos”, selecione a opção “Remover da fileira” e toque em “Ok” na mensagem que surge.

Fonte: Filmes-Netflix

‘Cobra Kai’: Sequência de ‘Karatê Kid’ estreia na Netflix e fãs enlouquecem

‘Cobra Kai’: Sequência de ‘Karatê Kid’ estreia na Netflix e fãs enlouquecem

“Cobra Kai”, série que é a sequência de “Karatê Kid”, filme clássico dos anos 1980, estreou ontem na Netflix e está deixando os fãs enlouquecidos nas redes sociais.

A atração é um drama centrado em artes marciais criado por Josh Heald, Jon Hurwitz, Hayden Schlossberg, e serve como uma espécie de continuação para o primeiro filme de Karate Kid, se passando 34 anos após os eventos da história original.

Demitido do emprego, sendo um pai ausente e bêbado, a vida não tem sido boa para Johnny Lawrence nos últimos 30 anos. Ao resgatar uma criança asmática de uma gangue de valentões, Johnny tem a ideia de reabrir o dojo de karatê Cobra Kai, se tornando o novo sensei para forasteiros e crianças discriminadas. Quando seu rival de longa data, e bem sucedido no karatê, Daniel LaRusso, descobre que o Cobra Kai foi reaberto, a briga entre eles reascende.

Data de estreia

Inicialmente, esperava-se que a nova temporada estreasse na Netflix ainda em 2020. Em junho, o co-criador Jon Hurwitz, disse no Twitter que esperava uma estreia dos episódios inéditos em setembro. No entanto, a Netflix resolveu “guardar” estes episódios, e confirmou que os lançará apenas em 2021. Certamente, esta é uma estratégia para que vários usuários que ainda não conhecem a série tenham tempo de consumir todos os episódios da primeira e segunda temporadas.

Outro detalhe é que a Netflix enfrentará uma “seca” nos próximos meses de conteúdo inédito, visto que poucas gravações retornaram, diante do atual cenário do mundo. Com isso, faz sentido que ela guarde conteúdo inédito, já gravado, para ser lançado em 2021.

Quantos episódios serão?

Já foi confirmado que a terceira temporada contará com 10 episódios de 30 minutos, dando pouco mais de 5 horas de conteúdo.

Elenco: quem retornará?

Todo o elenco original da série está confirmado na terceira temporada. Por isso, espere ver por Ralph Macchio (Daniel), William Zabka (Johnny), Courtney Henggeler (Amanda), Robby (Tannar Buchanan), Xolo Maridueña (Miguel), Mary Mouser (Sam) e Martin Kove (John Kreese). Outros atores como Jacob Bertrand, Nichole Brown, Gianni Decenzo, Hannah Kepple, Vanessa Rubio e Peyton List também são esperados.

Uma grande dúvida é se Ali, personagem original do primeiro filme, iria aparecer. No final da segunda temporada, Johnny joga seu celular fora, no exato momento em que Ali o adiciona na sua rede social. De acordo com algumas fontes, Elisabeth Shue foi vista nos sets da terceira temporada e deverá reprisar seu papel.

Trailer

A primeira cena inédita, da terceira temporada, é vista no trailer de divulgação da série para a Netflix. Nela, vemos Daniel descobrindo que o Sr. Myag também tinha segredos. Confira abaixo.

Startup japonesa arrecada US$ 28 milhões para lançar plataforma de dados lunares

Startup japonesa arrecada US$ 28 milhões para lançar plataforma de dados lunares

O plano da startup ispace de levar um módulo de pouso à Lua em 2022, ganhou um “empurrãozinho” de investidores. A empresa japonesa arrecadou US$ 28 milhões em uma rodada de financiamento, dinheiro que será usado no desenvolvimento de seu artefato espacial.

Juntamente com o investimento, a ispace também anunciou um novo negócio chamado “Blueprint Moon”, o qual usará uma plataforma de dados para coletar e fornecer dados lunares a outras empresas, agências espaciais e organizações de pesquisa.

O negócio será uma via de mão dupla. Enquanto vai ajudar outras empresas e agências a criar negócios semelhantes, oportunidades de pesquisa e exploração, a startup gera mais receita no curto prazo, podendo focar em seus lançamentos mais ambiciosos.

Com o novo aporte, liderado pela IF SPV First Investment Partnership, o financiamento total já recebido pela startup chega a US$ 125 milhões. 

Nasa e SpaceX

Enquanto a ispace desenvolve seu módulo lunar, a Nasa e a SpaceX se preparam para a realização da primeira missão tripulada oficial resultante de sua parceria. Após ser adiado para setembro, foi redefinido que o voo operacional da Crew Dragon não deve ocorrer antes do dia 23 de outubro.

A tão aguardada missão levará ao espaço o comandante Michael Hopkins, o piloto Victor Glover e o especialista em missões Shannon Walker, todos da Nasa, além de Soich Noguchi, da agência espacial japonesa. 

A Nasa ainda está revisando todos os dados para dar a certificação oficial à Crew Dragon. Se nenhum problema for encontrado, a espaçonave deve voar novamente no fim de outubro.

Fonte: Olhar Digital

Quinta temporada de Lúcifer chega à Netflix

Quinta temporada de Lúcifer chega à Netflix

Enorme sucesso de público no Brasil, a série Lúcifer volta à Netflix para sua quinta temporada – a segunda como produção exclusiva da plataforma de streaming, já que as três iniciais eram da Fox. Na última temporada, Lúcifer Morningstar (Tom Ellis) se despediu de Chloe (Lauren German) para governar novamente o inferno. Os fãs que acompanham a  saga do personagem criado por Neil Gaiman sabem que ele voltaria – Ellis assinou um novo contrato com a Netflix para garantir esta quinta temporada e mais a sexta, divulgada como a última. 

Bom , ele volta e engata finalmente um romance caliente com a detetive Chloe. Mas,  nem tudo é o que parece ser, e descobrimos que Lúcifer tem um irmão gêmeo: o arcanjo Miguel (Ellis dobrando o papel). Para compor os dois personagens, o ator galês precisou trabalhar duro na linguagem corporal e na prosódia. Enquanto Lúcifer é um janota britânico, Miguel é um despojado playboy americano.

Para driblar o tempo de produção entre a quinta e a sexta temporadas, já que a pandemia do novo coronavírus está na jogada, a Netflix resolveu dividir esta quinta parte em duas. As filmagens precisaram ser abandonadas com apenas oito episódios prontos.

Então, os que chegam hoje ao catálogo do serviço de streaming compõem a primeira parte – a data de estreia da segunda ainda não foi anunciada. De concreto, sabe-se apenas que no sexto tomo o assunto vai girar em torno da campanha Black Lives Matter e da pandemia, segundo divulgaram os produtores da série Ildy Modrovich e Joe Henderson, que trabalham na trama desde o início, em 2016.

Os fãs do diabão, porém, já criaram teorias. Como vimos, Lúcifer ter uma crise de consciência e voltar ao inferno, o público começou a opinar que nesta etapa ele irá mais fundo no seu lado sombrio. “Continuar será um desafio, para dizer o mínimo. Temos que encontrar uma maneira de manter a segurança e a produtividade. Para mim, a maior dificuldade de  ter ficado em Los Angeles nestes meses foi estar longe de minhas filhas”, diz o ator de 41 anos, que é pai de 3 meninas.   

Google transforma smartphones Android em sensores de terremotos

Google transforma smartphones Android em sensores de terremotos

Os smartphones Android do Google, de propriedade da Alphabet, começaram nesta terça-feira (11) a detectar terremotos em todo o mundo para fornecer dados que poderiam dar a bilhões de usuários preciosos avisos de um tremor próximo, com o recurso de alerta sendo lançado inicialmente na Califórnia.

Se a abordagem do Google para detecção e alerta de terremotos for eficaz, os avisos chegarão a mais pessoas, incluindo pela primeira vez a Indonésia e outros países em desenvolvimento com poucos sensores de detecção tradicionais.

Especialistas em sismologia consultados pelo Google disseram que transformar smartphones em minissismógrafos marcou um grande avanço, apesar dos inevitáveis alertas errados de um trabalho em andamento e da dependência de algoritmos de uma empresa privada para segurança pública. Mais de 2,5 bilhões de dispositivos, incluindo alguns tablets, rodam o sistema operacional Android, do Google.

“Estamos no caminho certo para enviar alertas de terremotos onde quer que haja smartphones“, disse Richard Allen, diretor do laboratório sismológico da Universidade da Califórnia em Berkeley.

O programa do Google surgiu há mais de quatro anos, de um teste para verificar se os acelerômetros de telefones podiam detectar acidentes de carro, terremotos e tornados, disse o engenheiro de software principal Marc Stogaitis.

Atualmente, os telefones Android podem diferenciar terremotos de vibrações causadas por trovões ou uma queda do dispositivo apenas quando eles estão carregando, parados e têm permissão do usuário para compartilhar dados com o Google.

Se os smartphones detectarem um terremoto, eles enviam a localização da cidade ao Google, que pode triangular o epicentro e estimar a magnitude com algumas centenas de registros, disse Stogaitis.

O Google espera enviar seus primeiros alertas com base nas leituras dos telefones no próximo ano. Também planeja fornecer alertas gratuitamente para empresas que desejam desligar elevadores, linhas de gás e outros sistemas automaticamente antes que o tremor ocorra.

Os alertas serão enviados para terremotos de magnitude 4,5 ou superior, e nenhum download de aplicativo é necessário.

Instituto abre 16.000 vagas para cursos online e gratuitos de tecnologia

Instituto abre 16.000 vagas para cursos online e gratuitos de tecnologia

Após o sucesso na expansão dos cursos online e gratuitos durante a pandemia, o Instituto de Gestão e Tecnologia da Informação (IGTI) lança hoje dez novas modalidades de bootcamps na área de tecnologia da informação.

O IGTI abriu 16.000 vagas distribuídas entre 22 cursos online. O modelo de bootcamp é ideal para quem busca uma formação profissionalizante, para em um curto tempo poder entrar no mercado de trabalho. Na EXAME Academy, o curso exclusivo de introdução ao Data Science e Python oferecido pela escola de programação Let’s Code segue esse modelo.

Durante a quarentena, o IGTI teve o desafio de ajustar seu negócio para sair de 3.000 para 30.000 alunos. De acordo com Vinicius Bozzi, CEO do IGTI, eles encontraram um novo modelo sustentável para o negócio oferecendo cursos de qualidade e gratuitos, com os alunos pagando apenas uma baixa taxa de matrícula.

“Na primeira semana da quarentena, a gente tomou coragem para ampliar nosso público. A cada bootcamp, a empresa atingia 15.000 inscritos, mas só colocava 200 alunos para dentro. Com todos passando a aprender à distância durante a pandemia, arriscamos ao tornar o curso gratuito e ampliando o número de alunos para custear”, explica ele.

O CEO comenta que existe um top 3 de cursos mais procurandos. O primeiro é na área de ciência de dados, machine learning e business inteligence. Depois, aparece o desenvolvimento full stack. Em terceiro, fica segurança da informação.

Mas existem diversas demandas por habilidades do futuro em torno da transformação digital do mercado, entre os cursos com vagas abertas, há também formações em educador 4.0, gerente de projetos, profissional de transformação digital e analista de marketing digital.

Os cursos duram dois meses e têm uma abordagem prática e intensiva. Para se inscrever, os alunos devem ter mais de 18 anos e obter qualificação em uma prova online de lógica e fundamentos de programação. Não há mensalidade, mas os selecionados pagam a taxa de matrícula de 100 reais.

As inscrições podem ser feitas até 4 de setembro pelo site.

La Casa de Papel cancelada: 5ª Temporada será a última

La Casa de Papel cancelada: 5ª Temporada será a última

A Netflix trará La Casa de Papel para um último roubo. De acordo com a EW, a Netflix confirmou o cancelamento da atração após a quinta temporada – que será lançada em 2021. Com isso, o quinto ano trará o desfecho oficial para a trama dos ladrões mais amados dos fãs de séries de TV.

A EW confirmou também que a produção começará na próxima segunda-feira (3) na Dinamarca, antes de filmar pela Espanha e Portugal.

Quando os vimos pela última vez, a equipe do Professor (Álvaro Morte) estava declarando guerra às autoridades durante seu roubo no Banco da Espanha, quando ele foi descoberto por Alicia Sierra (Najwa Nimri), a inspetora que o perseguia. Um assalto foi iniciado para resgatar o Rio (Miguel Herrán), mas acabou custando a eles a amada membro da equipe Nairobi (Alba Flores). Quando a temporada final estrear, a série entrará em território desconhecido, indo além do assalto para vingar sua morte.

De acordo com a assessoria da Netflix, a última parte de La Casa de Papel contará com 10 episódios.

Nova temporada

“Estamos passando de um simples jogo de xadrez – uma mera estratégia intelectual – para uma estratégia de guerra: ataque e contenção”, disse Alex Pina, criador da série, à EW sobre a gangue vingar a morte de sua companheira. “Esse novo objetivo aumenta os riscos, mantendo a história atualizada e mantendo a adrenalina que sempre ocorre em La Casa de Papel. A guerra que eles foram pressionados para iniciar resulta na parte mais épica de todas”, completou o roteirista.

Além disso, o professor contará com novos rostos em sua equipe. Os atores Miguel Ángel Silvestre, conhecido por interpretar Lito de Sense8, e Patrick Criado estão se juntando ao elenco.

Enquanto Pina não revelou detalhes completos sobre os novos rostos e como eles se encaixam na história, ele provocou o que eles trarão para a temporada final.

“Sempre tentamos que nossos oponentes sejam carismáticos, inteligentes, brilhantes”, explica ele. “Nesse caso, no gênero de filme de guerra puro, também procuramos personagens cuja inteligência possa ser comparada à do professor”.

Pina também diz que o público conhecerá melhor o amigo de infância de Denver, Manila (Belén Cuesta), nos 10 episódios finais e provoca um impasse entre Sierra e o Professor.

“A adrenalina está no DNA de La Casa de Papel. A cada trinta segundos as coisas acontecem e atrapalham os personagens, um giro na ação. A adrenalina misturada com sentimentos decorrentes de personagens absolutamente complexos, magnéticos e imprevisíveis continuará até o final do assalto”, diz Pina. “No entanto, a gangue agora será levada a situações irreversíveis, a uma guerra selvagem: é a parte mais épica de todas as partes que filmamos”.

Sucesso da Netflix

Observando o plano intrincado do Professor que ganhou vida e chamou a atenção de dezenas de milhões de assinantes da Netflix, La Casa de Papel tornou-se um fenômeno. Ela não é apenas das séries mais populares da Netflix de todos os tempos, mas também é a série não inglesa mais assistida da plataforma.

Para se ter uma ideia, a parte 4 do drama criminal, que estreou em abril de 2020, foi assistida por 65 milhões de contas nas primeiras quatro semanas de lançamento – um milhão a mais que Tiger King, que estreou um mês antes, e apenas dois milhões a menos que Stranger Things 3, que estreou no verão de 2019.

Certamente, os fãs aguardarão ansiosos por esse desfecho.

Fonte: https://mixdeseries.com.br

Brasil fica em primeiro lugar em teste de banda larga fixa

Brasil fica em primeiro lugar em teste de banda larga fixa

O Brasil teve o melhor desempenho de banda larga fixa durante o segundo trimestre de 2020, de acordo com os dados da Ookla, dona do serviço de medição Speedtest. A pesquisa analisou as cinco maiores economias da América Latina e apontou que o Brasil teve latência média de 19 ms (milissegundos). Já em relação à banda larga móvel, a Argentina apresentou o melhor resultado, com 40 ms. O Brasil ficou em quarto nesse quesito, com 46 ms.

A latência mede o tempo de reação de uma conexão, sendo muito importante no universo dos games. Para ter uma melhor experiência de jogo, esse valor precisa ser de até 59 ms. A latência móvel tem relação com jogos criados para dispositivos móveis, enquanto a latência de banda larga fixa mede a conexão em computadores e consoles.

A pesquisa ainda apontou que os investimentos recentes em fibra óptica em toda a região ajudaram a aumentar ainda mais a latência durante o período. Durante o período da pandemia do novo coronavírus, os investimentos em conexão também cresceram, fazendo com que todos os países do estudo apresentassem aumento no desempenho da internet móvel e da fixa.

Banda larga fixa

O Brasil foi o país que mais apresentou melhorias na latência da banda larga fixa em comparação com o segundo trimestre de 2019, diminuindo de 23 ms para 19 ms. Em seguida vem o Chile (24 ms), o México (31 ms) e a Argentina (34 ms). A Colômbia ficou em último lugar, com 43 ms. Apesar disso, todos os países apresentam internet dentro dos padrões mínimos de latência para jogos.

São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília apresentaram as melhores latências de banda larga fixa no país, com 18 ms, 20 ms e 21 ms respectivamente. As cidades brasileiras só ficaram atrás de Guadalajara, no México, com 17 ms.

Brasil apresentou melhor desempenho na conexão banda larga da América Latina — Foto: Reprodução/SpeedTest

Internet no celular

Em relação à latência da banda larga no celular, o México apresentou o maior avanço, passando de 57 ms para 44 ms no segundo trimestre de 2020. Apesar disso, a Argentina obteve o primeiro lugar, com 40 ms. Depois vem o Chile (41 ms), México (44 ms), Brasil (46 ms) e Colômbia (47 ms).

Em relação às cidades, São Paulo e Buenos Aires empataram na melhor latência móvel, com 31 ms. Em seguida aparece o Rio de Janeiro (35 ms). Brasília ficou no último lugar da lista de localidades brasileiras analisados (43 ms).

São Paulo e Rio de Janeiro ficaram em primeiro lugar na latência da internet fixa e móvel — Foto: Reprodução/SpeedTest

Apesar de a implementação da internet 5G ter começado recentemente no Brasil, é esperado que ela aumente ainda mais a latência no país sobre a capacidade que os dispositivos 4G oferecem atualmente.

Por Larissa Infante.

O Senhor dos Anéis: série da Amazon trará personagens conhecidos

O Senhor dos Anéis: série da Amazon trará personagens conhecidos

Para quem conhece a obra de Tolkien apenas pelos filmes já lançados, uma boa notícia: três personagens conhecidos darão as caras na série de O Senhor dos Anéis que será lançada pela Amazon. Sauron, Galadriel e Elrond estarão na produção, de acordo com um tweet do TheOneRing.net.

Galadriel apareceu nas duas trilogias de Peter Jackson (SdA e O Hobbit) sendo interpretada por Cate Blanchett. Para a série, em que a personagem é bem mais nova, a escolhida seria Morfydd Clark, segundo rumores. Já Elrond ganhou vida através de Hugo Weaving e ainda não tem ator definido para a nova produção.

Nos filmes de O Senhor dos Anéis, o vilão Sauron foi interpretado por Sala Baker e dublado por Alan Howard. Já na trilogia de O Hobbit, ele aparece como o Necromante, tendo sido interpretado por Benedict Cumberbatch, que também assumiu o papel do dragão Smaug.

A produção da Amazon começou no início do ano, mas foi interrompida por conta da pandemia de covid-19. As filmagens devem retornar em setembro, na Nova Zelândia, mas ainda não existe uma data para a chegada da série ao streaming.

A série de O Senhor dos Anéis irá se passar durante a Segunda Era da Terra-média, que começa no banimento de Morgoth (o vilão original) e termina na primeira derrota de seu servo Sauron. Além disso, o período também traz grandes eventos como a ascensão e queda de Númenor, a criação dos Anéis do Poder e a formação da Última Aliança, que juntou homens e elfos na luta contra Sauron – essa batalha conta com a presença de Elrond e foi brevemente retratada em A Sociedade do Anel.